(31) 3222 7587 . 3347 4007 . 3245 2122 Rua Padre Rolim, 815 Sala 107
Santa Efigênia . Belo Horizonte . MG

Informativos

Vértebras na coluna cervical, torácica e lombar

Coletivamente, os corpos vertebrais compreendem blocos ósseos que edificam a coluna. Eles são empilhados um em cima do outro com um disco entre cada um deles. Todos os corpos vertebrais juntos agem como um pilar de sustentação para manter coluna ereta. Este pilar suporta aproximadamente metade do peso do corpo, com a outra metade suportada pelos músculos.

Cada região da coluna tem algumas diferenças na forma e na função dos corpos vertebrais e como eles são fixados às estruturas adjacentes.

Corpos vertebrais na coluna cervical (pescoço)

A coluna cervical tem sete corpos vertebrais (segmentos). Os dois segmentos superiores são especiais:

  • O primeiro segmento cervical (chamado de Atlas) é um anel que não tem corpo vertebral. É unido ao segundo corpo vertebral (o Áxis) que age como um pivô em torno do qual o primeiro anel, o Atlas, gira. A maior parte da rotação do pescoço é localizada nesses dois segmentos (figura Atlas e Áxis).
  • Como o resto da coluna, os próximos cinco segmentos vertebrais têm três articulações em cada segmento, incluindo um disco na frente e as articulações facetárias emparelhadas na parte de trás.

Diferente do resto da coluna, os segmentos da coluna cervical possuem aberturas em cada corpo vertebral para as artérias que levam sangue ao cérebro – artéria vertebral que passa através do forame transverso (figura forame transverso).

Corpos vertebrais na coluna torácica (parte alta das costas)

A coluna torácica tem doze corpos vertebrais. Essas estruturas têm muito pouca mobilidade porque elas estão firmemente unidas às costelas e ao esterno (osso do peito). Devido a esta pouca mobilidade, esta região da coluna não é frequentemente fonte de dor nas costas, embora a junção entre a coluna e as costelas (articulações costovertebrais) possa ser fonte de dor.

Corpos vertebrais da coluna lombar (parte baixa das costas)

A coluna lombar tem cinco corpos vertebrais que se estendem da parte inferior da coluna torácica até o sacro (final da coluna). Os corpos vertebrais da lombar são os maiores da coluna porque eles sustentam a maioria do peso corporal. As articulações facetárias emparelhadas na parte de trás dos segmentos vertebrais são alinhadas de maneira tal que permitam a flexão/extensão, e não muita rotação (figura vértebra lombar).

Componentes do segmento vertebral

O segmento oval denso de osso que forma a parte dianteira do segmento vertebral é o corpo vertebral. Cada segmento da coluna lombar é compreendido da seguintes estruturas:

  • Os corpos vertebrais são unidos a um arco ósseo através do qual passam todas as raízes nervosas. O arco vertebral é composto de dois pedículos, processos curtos que se estendem das laterais do corpo vertebral, e duas lâminas, extensas placas lisas que se projetam dos pedículos e se unem num triângulo para formar um arco oco – o forame vertebral (figura componentes da vértebra).
  • Os arcos vertebrais são interconectados por articulações facetárias emparelhadas que em combinação com o disco, criam um complexo de três articulações em cada segmento móvel vertebral. Este complexo de três aticulações em cada segmento vertebral (a articulação facetária) permite movimentos em flexão, extensão, rotação e inclinação lateral (figura articulações facetárias).
  • As facetas articulares têm cartilagem em cada superfície articular e uma cápsula em torno delas (figura articulações facetárias 2). A cartilagem pode se degenerar com o envelhecimento e conduzir a uma artrite degenerativa.
  • O processo espinhoso se projeta da junção das duas lâminas (figura componentes da vértebra) e estes são as elevações que podemos sentir através da pele nas costas, ao longo da coluna.
  • Os processos transversos se projetam da junção dos pedículos com as lâminas (figura componentes da vértebra). As estruturas do arco vertebral protegem os nevos espinhais que passam através do canal espinhal. A cirurgia laminectomia lombar envolve a remoção das lâminas para ganhar espaço no canal vertebral.

Movimentos na lombar

Cinqüenta por cento da flexão (inclinação para frente) ocorrem no quadril, e cinqüenta por cento ocorre na coluna lombar. O movimento é dividido entre os cinco segmentos móveis da coluna lombar, embora uma quantidade desproporcional de movimento ocorra em L4-L5 (segmento lombar 4 e 5) e L3-L4 (segmento lombar 3 e 4). Consequentemente, esses dois segmentos da coluna lombar são mais propensos a prejuízos devido à degeneração. Com esta degeneração eles podem se tornar instáveis com um excesso de movimento, criando dor lombar. Existe um número de tratamento não cirúrgicos disponíveis para ajudar no manejo da dor lombar, e uma fusão cirúrgica pode ajudar a aliviar a dor pela interrupção do movimento.

Fraturas por compressão do corpo vertebral

Desde que eles são as maiores estruturas a suportar carga, os corpos vertebrais são também propensos a desenvolver fraturas por compressão, particularmente em pacientes com osteoporose (a qual enfraquece o osso). Essas fraturas podem levar a dor crônica e desalinhamento progressivo ou deformidade da coluna. Com o decorrer do tempo, o desalinhamento ou deformidade gera stress nos músculos, tendões, ligamentos e ossos através das costas e podem resultar em prejuízo no equilíbrio e na habilidade da marcha.