(31) 3222 7587 . 3347 4007 . 3245 2122 Rua Padre Rolim, 815 Sala 107
Santa Efigênia . Belo Horizonte . MG

Informativos

Reabilitação da coluna disfuncional

A reabilitação da coluna tem como objetivo aproximar ao máximo do padrão fisiológico, a anatomia, mobilidade, flexibilidade e estabilidade da coluna. Este padrão fisiológico proporciona uma biomecânica perfeita para realização das atividades humanas, eliminando sobrecargas e, consequentemente lesões. Dessa forma, a reabilitação da coluna visa, através da diminuição da dor e melhora da condição física, tornar o paciente apto a realizar todas as suas atividades com segurança, permitindo que suas vidas social, profissional e pessoal sejam satisfatórias e prazerosas.

O método de reabilitação da coluna desenvolvido na clínica Vértebra passa por três estágios, nos quais são utilizadas as técnicas de Terapia Manual, Osteopatia, RPG e Pilates.

1º estágio: Controle da dor

Neste estágio, são realizadas técnicas para relaxamento muscular e inibição do espasmo muscular protetor, além de técnicas para estimulação dos músculos estabilizadores profundos do tronco. Estes sim, devem estabilizar a região dolorosa. São realizados alongamentos, correção da postura e exercícios leves de estabilização estática e dissociação de articulações adjacentes. Com estes exercícios o corpo do paciente aprende a movimentar articulações adjacentes à área da lesão (coluna) isoladamente, inibindo o movimento desnecessário nesta área, o que diminuirá possíveis forças destrutivas. Neste estágio, são utilizados também aparelhos de eletroanalgesia e termoterapia.

2º estágio: Recuperação do movimento, melhora da mobilidade e flexibilidade

Neste estágio são utilizados exercícios de mobilização articular passivos e ativos e alongamentos específicos de acordo com cada caso, visando a restauração do movimento fisiológico. Nesta fase é dada ênfase à boa distribuição da mobilidade das articulações, inclusive e principalmente, das articulações da coluna (articulações entre todas as vértebras), visto que um déficit de mobilidade em uma determinada articulação causará hipermobilidade na articulação infra ou suprajacente. A hipermobilidade potencialmente causará forças destrutivas na articulação e consequentemente, lesões.

Uma boa flexibilidade geral do corpo deixa-o livre para se movimentar em todas as direções necessárias e exigidas pelo nosso dia a dia.

3º estágio: Estabilização dinâmica e condicionamento físico

Nesta etapa é dada ênfase ao fortalecimento dos músculos estabilizadores da coluna, através de exercícios funcionais que desafiam a estabilização dinâmica do tronco, preparando o paciente para as suas atividades. Nesta fase é priorizado o treinamento proprioceptivo, ou seja, treinamento para o movimento eficiente e controlado numa amplitude protegida. È o treinamento para que o corpo esteja apto a realizar os movimentos necessários no seu dia a dia, sem causar lesão. È também conhecido como treinamento funcional.

Os músculos estabilizadores do tronco são também músculos posturais. São os músculos responsáveis para manutenção de uma boa postura. Estando estes músculos bem condicionados num corpo com boa flexibilidade, a melhora da postura ocorrerá como conseqüência.

Estes estágios do tratamento se interpõem, sabendo o fisioterapeuta, como conduzi-los.

O tratamento é variado e específico de acordo com cada paciente ou cada caso. Dessa forma, o tratamento de reabilitação da coluna deve ser individualizado para a garantia de sua qualidade.

Além destas intervenções o tratamento engloba também, orientações quanto às posturas vivenciadas no dia a dia de cada paciente. São importantes orientações quanto à posição de trabalho, posição para dirigir, posição para dormir, melhor colchão, como pegar um peso, assim como orientações relacionadas a atividades físicas.

Por Fabiana Costa de Oliveira Bertú
10/10/2007
20/02/2012