(31) 3222 7587 . 3347 4007 . 3245 2122 Rua Padre Rolim, 815 Sala 107
Santa Efigênia . Belo Horizonte . MG

Informativos

Discos intervertebrais

O disco intervertebral na coluna é uma interessante e única estrutura. Sua finalidade primária é agir como um absorvedor de choque entre vértebras adjacentes. Os discos intervertebrais também agem como ligamentos que seguram juntas as vértebras da coluna e como articulações cartilaginosas que permitem a tênue mobilidade da coluna. Existe um total de vinte e três discos intervertebrais na coluna.

Componentes dos discos intervertebrais

Os discos intervertebrais são compostos de duas partes: uma porção externa resistente e um núcleo macio interno cuja configuração é comparada a de uma geléia.

  • A porção externa do disco (ânulo fibroso) é uma camada circular externa resistente composta de folhas concêntricas de fibras de colágeno que cercam o núcleo interno.
  • O núcleo interno (núcleo pulposo) contém uma rede frouxa de fibras suspensas num gel de mucoproteínas.

As fibras anulares selam hidraulicamente o núcleo gelatinoso e distribuem uniformemente a pressão e a força impostas na estrutura. A porção externa e o núcleo interno do disco intervertebral se encaixam como dois cilindros concêntricos.

Ao nascimento, oitenta por cento do disco é composto de água. Para que o disco funcione corretamente, ele deve ser bem hidratado. O núcleo pulposo é o maior receptor da carga axial do corpo e conta com sua composição básica de água para manter sua força e flexibilidade.

Degeneração discal

Com o tempo, os discos se desidratam e se tornam mais duros, os que faz com que os mesmos se tornem menos capazes de se ajustarem à compressão. Enquanto isto é um processo natural do envelhecimento, em algumas pessoas, como o disco se degenera ele pode se tornar doloroso. A razão mais provável para isto é que a degeneração pode produzir uma instabilidade com micro movimentos e proteínas inflamatórias (o núcleo interno do disco) provavelmente saem do espaço discal e inflamam estruturas bem inervadas próximas ao disco (por exemplo, raízes nervosas). Algumas vezes uma lesão por torção danifica o disco e se inicia uma cascata de eventos que leva a degeneração.

O disco intervertebral tem muito poucas terminações nervosas e nenhum aporte sangüíneo. Sem o aporte sangüíneo o disco não tem como se cicatrizar, e a dor criada por uma lesão discal pode durar anos. Em geral, com o envelhecimento existem menos proteínas inflamatórias no espaço discal e a dor discogênica raramente ocorre após os sessenta anos de idade.